GT HANS JONAS E GT FILOSOFIA DA TÉCNICA E DA TECNOLOGIA DA ANPOF REPUDIAM VIOLÊNCIA NO PROCESSO ELEITORAL

O GT Hans Jonas e o GT de Filosofia da técnica e da tecnologia, da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (ANPOF), vêm a público manifestar sua preocupação em relação aos vários casos de ameaças e ataques violentos contra cidadãos brasileiros, principalmente estudantes e professores universitários.
Alertamos para a grave ameaça à democracia que advém de uma candidatura que tem incentivado o ódio entre os brasileiros, colocando em xeque as conquistas sociais e culturais de nosso povo.

Acreditamos em escolas e em educação, não em armas e violência. Acreditamos na democracia e no exercício cidadão, nos direitos humanos e na universidade como comunidade de assuntos discutíveis, não no ódio e na agressão. Acreditamos na liberdade de expressão e afetiva, não no preconceito e na discriminação.

Como filósofos e filósofas, reiteramos o papel do pensamento crítico, da prática cidadã e do caminho da não-violência como solução para as graves tensões sociais pelas quais nosso país tem passado.

A violência não é caminho. A barbárie precisa ser contida. A população brasileira  precisa construir seu futuro com diálogo e tolerância, em defesa das cláusulas pétreas da civilização, que jamais estiveram tão ameaçadas.

NOTA DE FALECIMENTO

Caras e caros colegas,

É com imensa tristeza que recebi a notícia do falecimento de um dos membros de nosso GT Deleuze, Guilherme Ivo. Guilherme vinha se dedicando à tradução de escritos de Deleuze e outros autores, muitas vezes em parceria com Luiz Orlandi, seu orientador. Nascido em 1989, sofreu ontem um acidente de carro que o tirou do nosso convívio.

Manifesto minhas condolências e solidariedade aos familiares e amigos, com a certeza de que todos os membros do GT Deleuze e toda a comunidade filosófica me acompanham.

Mariana de Toledo Barbosa
(coordenadora do GT Deleuze).

PRÊMIO CAPES TESE 2018 - FILOSOFIA

A Capes divulgou na última segunda-feira (1/10) lista com os nomes dos vencedores Prêmio Capes de Tese 2018. O resultado se refere às melhores teses de doutorado defendidas em 2017.

Parabenizamos a premiada em nossa área, Fernanda Alt Froes Garcia Spitz, da UERJ, cuja tese defendida foi "A hantologie de Sartre sobre a espectralidade em o Ser e o Nada" e seus orientadores Marcos André Gleizer e Renaud Barbaras.

Também parabenizamos, pela menção honrosa, Breno Andrade Zuppolini, da Unicamp e Sagid Salles Ferreira, da UFRJ. "Fundamentos Ontológicos da Filosofia da Ciência de Aristóteles" é o título da tese de Breno e "Vagueza como arbitrariedade: esboço de uma teoria da vagueza" é o título da tese de Sagid Salles Ferreira. Parabenizamos também seu respectivos orientadores Lucas Angioni e Guido Imaguire.

Rainer Forst e o direito à justificação: sobre a dialética entre igualdade e diversidade nas democracias

raister

Rainer Forst e o direito à justificação: sobre a dialética entre igualdade e diversidade nas democracias

ISBN: 978- 85-525-0052-0
Formato: 14x21
N° de páginas: 326
Autora: Marcela Borges Martinez
Editora: Publit - 2018

Descrição: Um dos principais desafios da democracia é garantir a realização da justiça em face do pluralismo das sociedades modernas. Como se conciliar a diversidade social, ética e política e a igualdade garantida pelo estado democrático de direito? Rainer Forst argumenta que a reivindicação por justiça é a reivindicação por justificação, isto é, a reivindicação por não ser governado arbitrariamente. Nesse sentido, uma estrutura básica da sociedade justificada discursivamente e democraticamente espelharia a realização da justiça. No procedimento deliberativo, o conceito moderno de tolerância desempenha um papel fundamental. Portanto, uma teoria da democracia deliberativa não seria possível se não apresentasse uma concepção de tolerância procedimental, assim sendo, esta obra reserva um espaço especial ao estudo dessa categoria.

Link para o site da editora: http://www.publit.com.br/livraria/produto/716/rainer-forst-e-o-direito-a-justificacao-sobre-a-dialetica-entre-igualdade-e-diversidade-nas-democracias




NOTA DE FALECIMENTO

 

É com grande pesar que o Departamento de Filosofia da Universidade Federal Fluminense comunica o falecimento do Professor Fernando José Fagundes Ribeiro, no dia 05 de outubro, vítima de um aneurisma cerebral. Professor admirado e querido por alunos e colegas, Fernando José Fagundes Ribeiro foi filósofo e militante das causas justas, apreciador da arte, das inquietações do pensamento e da prática e do cultivo das boas amizades. Dedicou o melhor de seus esforços ao engrandecimento de nossa universidade e à defesa da democracia. Nossas condolências à família, aos amigos e à companheira de nosso colega.

Fernando José Fagundes Ribeiro, presente!

06/10/2018

CAPES APROVA CRIAÇÃO DE QUATRO NOVOS CURSOS DE MESTRADO E SEIS DE DOUTORADO EM FILOSOFIA

A partir do próximo ano teremos mais quatro novos programas de mestrado e seis de doutorado em Filosofia. A Capes anunciou hoje resultado de avaliação de propostas de novos cursos. De oito propostas de mestrado avaliadas, quatro foram aprovadas. Dentre elas, o segundo curso de mestrado da região Norte. Ganham mestrado em Filosofia: Universidade Federal de Alagoas, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade Federal de Rondônia e Universidade Federal de São João Del Rei. Recebem programas de doutorado a Universidade Estadual de Londrina, Universidade Federal de Caxias do Sul, Universidade Federal do Espírito Santo, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal de Sergipe e o programa de Metafísica da Universidade de Brasília.

Coimbra Companions: Platão

9788534947459

Cátedra UNESCO Archai do Programa de Pós-Graduação em Metafísica da Universidade de Brasília apresenta com satisfação o livro Coimbra Companions: Platão.

Editores:
Gabriele Cornelli e Rodolfo Lopes

Autores:
Alberto Bernabé, António Pedro Mesquita, Daniel Rossi Nunes Lopes, Fernando Rey Puente, Fernando Santoro, Francesc Casadesús Bordoy, Francesco Fronterota, Franco Ferrari, Gabriele Cornelli, Giovanni Casertan, Hector Benoit, José Gabriel Trindade Santos, Katsuzo Koike, Luc Brisson, Marcelo Perine, Maria do Céu Fialho, Mario Vegetti †, Olivier Renaut, Richard McKirahan, Rodolfo Lopes, Silvio Marino, Tom Robinson

Trata-se do primeiro compêndio à vida e obra de Platão escrito originalmente em língua portuguesa. O projeto é consequência da importância que a língua portuguesa veio crescentemente desempenhando na comunidade dos estudiosos e estudiosas de Platão e dos platonismos. A derradeira marca lusófona deste compêndio pode ser facilmente notada na própria estrutura de seu projeto editorial: gestado no interior da Cátedra UNESCO Archai da Universidade de Brasília, encontra seu lugar na coleção Coimbra Companionsda Imprensa da Universidade de Coimbra (IUC), que é ao mesmo tempo a mais antiga e mais moderna editora acadêmica em língua portuguesa, em parceria com a editora brasileira Paulus.

A busca pela diversidade de abordagens levou os editores também a convidar para este projeto estudiosos não-lusófonos de primeira-linha. Ao mesmo tempo em que estes contribuem em sua totalidade com textos originais traduzidos para o português, a seleção de cada um deles teve como critério o histórico de cooperação com a comunidade de platonistas de língua portuguesa, notoriamente aberta a diálogos fecundos com tradições as mais variadas.

À venda no Brasil aqui.


Mais artigos...

FaLang translation system by Faboba