Entrevista com Manoel Vasconcellos sobre Doutorado da UFPel

MANOEL VASCONCELLOS FALA SOBRE O INÍCIO DAS ATIVIDADES DO DOUTORADO DA UFPel

 download-21

 

O Prof. Manoel Vasconcellos, Coordenador do PPGF da UFPel, respondeu a questões da ANPOF sobre as atividades do Programa de Doutorado em Filosofia, que terá início em 2015. 


ANPOF - Quais as linhas de pesquisa do Programa e o que vocês diriam que define a sua identidade?

Manoel Vasconcellos - A área de concentração é Filosofia Moral e Política. As linhas de pesquisa são:

a) Concepções de Virtude

b) Fundamentação e Crítica da Moral

c) Direito, Sociedade e Estado

d) Epistemologia Moral (linha que passa a integrar o programa a partir do próximo processo seletivo para Mestrado e Doutorado).

A identidade do programa não está desvinculada da sua origem histórica. Com efeito, o curso de graduação em Filosofia da UFPel começou a funcionar em 1985. Cerca de dez anos após sua criação houve uma grande renovação de professores e profundas alterações curriculares. Desde então, os estudos relacionados à Filosofia Moral e Política começaram a ter especial relevância. Ao menos num primeiro momento não se tratou de algo intencional. Configurou-se, contudo, uma formação de professores que tinha como característica comum a investigação em torno dessa área, razão pela qual a primeira experiência de pós-graduação acabou por ser uma Especialização em Ética e Filosofia Política. A continuidade e aprofundamento das investigações conduziu à escolha da Filosofia Moral e Política como área de concentração do mestrado. O programa foi, desde o início, marcado pela presença de um grupo de jovens professores que, ao lado de outros mais experientes, foram construindo o perfil de um grupo de trabalho voltado para temas de filosofia prática. A partir de agora, com a criação do doutorado, sem perder o foco central, a investigação alarga-se com a inclusão de uma nova linha de pesquisa, a epistemologia moral.

ANPOF - Quais as expectativas do Programa em relação ao perfil e origem dos estudantes que o procurarão?

Manoel Vasconcellos - Quanto ao perfil, a expectativa é que o Doutorado em Filosofia seja procurado por alunos que já possuam um certo amadurecimento na pesquisa filosófica ou que, pelo menos, tenham leituras significativas de obras relacionadas à Filosofia Moral e Política e que desejem realizar com solidez e profundidade, pesquisas na área de Filosofia Moral ou Filosofia Política. Além daqueles mestres, já formados pelo programa, nos últimos anos e que, por variados motivos, não puderam prosseguir seus estudos em outras cidades, prevê-se que o curso seja procurado por alunos, oriundos de outras instituições, que possuem mestrados em Filosofia e mesmo em outras áreas das ciências humanas, uma vez que pouquíssimos são os doutorados em tais áreas na vasta região que compreende a "metade sul" do estado do Rio Grande do Sul.

A criação do doutorado vai permitir que um estudante que ingressa no curso de Filosofia (licenciatura ou bacharelado) tenha a oportunidade, se este for seu desejo, de realizar toda sua formação, da graduação ao doutorado, na cidade de Pelotas. Ressalte-se que em 2014 foi criado o curso de Filosofia na modalidade a distância, abrangendo cinco polos e, a partir de 2016,,mais outros cinco ou seis. Tem-se a expectativa de que muitos desses estudantes, provenientes de diversas regiões do RS, possam tornar-se, futuramente, mestrandos e doutorandos do nosso programa.

Prevê-se, igualmente, a presença de alunos do Uruguai, uma vez que o país vizinho (Pelotas está a 180 km da fronteira) não possui Doutorado específico em Filosofia. Além disso, o programa tem recebido muitos pedidos de informações de estudantes de outros pontos da América do Sul, notadamente, Colômbia e Venezuela. Até o momento não houve possibilidade de ingresso de estudantes desses países, espera-se que o Doutorado amplie as possibilidades.

O Departamento de Filosofia mantém intercâmbio com a Universidade Eduardo Mondlane, situada em Maputo, capital de Moçambique. Três professores e três alunos da Filosofia, já estiveram em Moçambique; a UFPel já recebeu dois professores e dois alunos do país africano. Uma professora moçambicana cursou disciplinas do nosso programa. Há um manifesto interesse da universidade africana em enviar pessoas, especificamente para o Doutorado. Tendo em vista o convênio já existente, parece-nos muito provável a concretização desse projeto em curto prazo.

ANPOF - A aprovação do doutorado indica, entre outras coisas, o reconhecimento da maturidade do trabalho que vem sendo feito no mestrado até aqui. Quais características desse trabalho vocês consideram ter sido mais fundamental?

Manoel Vasconcellos - Parece-nos que a característica fundamental tenha sido a busca, por parte do grupo de professores e também dos mestrandos em qualificar sua produção científica, evidenciada pelos livros surgidos e, sobretudo, pela publicação de artigos em revistas bem qualificadas. Além da produção científica, a realização de eventos, especialmente o Congresso Internacional de Filosofia Moral e Política da UFPel (que terá sua quinta edição em 2015) colaborou para o reconhecimento do trabalho que o PPG vem procurando realizar, ciente de suas limitações, mas com entusiasmo e zelo pela busca constante da excelência acadêmica. Outro aspecto importante a destacar é a política de afastamento de docentes para realização de pós-doutorado no exterior. A cada semestre temos, pelo menos, um docente realizando suas pesquisas em algum centro importante de sua área de estudos fora do país.

ANPOF - Como vocês vêm o papel a ser desempenhado pela Pós-Graduação em Filosofia da UFPel, agora que tem também doutorado, no contexto da consolidação da área no país e na região em que se situa?

Manoel Vasconcellos - A criação do mestrado, em 2008 e, agora, do doutorado em Filosofia vai ao encontro do processo de expansão e interiorização da pós-graduação no Brasil, especialmente na área da Filosofia. Está também em consonância com o crescimento da Universidade Federal de Pelotas que assistiu, nos últimos anos, a um significativo crescimento do número de professores, alunos, cursos de graduação e também de pós-graduação sticto sensu.

Entendemos que o grande desafio a ser enfrentado pelo PPG Filosofia da UFPel, será, precisamente, colaborar para a consolidação desse processo de interiorização, buscando alcançar resultados importantes e duradouros que evidenciem que a expansão e interiorização não foram opções equivocadas. Tal intento será alcançado à medida que formos capazes, por exemplo, de qualificar ainda mais a produção científica e de formar bons mestres e doutores, além de ampliar e consolidar o processo de internacionalização.

Quanto ao papel do programa em seu contexto regional, podemos dizer que o PPG em Filosofia da UFPel quer também atender a uma demanda importante dos anseios comunitários da região sul do Rio Grande do Sul, uma região que, após um longo período de estagnação econômica, vem retomando o processo de crescimento. Tal região que compreende o que se costuma chamar de "metade sul" do RS, abriga várias universidades federais, privadas, comunitárias e uma estadual. Poderemos colaborar na formação continuada de discentes e mesmo docentes, oriundos de muitas dessas instituições. Certamente, tão somente esta demanda quantitativa não justificaria por si mesma a criação do Curso, mas ela é complementada pela preocupação com a pesquisa, preocupação que tem sido demonstrada pelo bom nível de produção e publicação do corpo docente vinculado ao programa, bem como por uma parcela significativa de boas dissertações produzidas, desde a criação do Mestrado.

Entrevista concedida entre 3 e 7 de abril de 2015.

 

Informações sobre o Programa

Data prevista para o primeiro processo seletivo:

Processo Seletivo em junho, para início das atividades em agosto de 2015.


Docentes que compõem o Programa:

Uma comissão, composta, inclusive com professores de outros programas, está analisando o possível ingresso de novo (s) docente(s). No momento, os docentes que constituem o colegiado são:

Carlos Adriano Ferraz

Clademir Araldi

Cláudio Leivas

Flávia Carvalho Chagas

João Hobuss

Jovino Pizzi

Manoel Vasconcellos (coordenador até 18 de junho)

Robinson dos Santos

Sérgio Strefling

Sônia Schio

 


Mais informações:

http://www.ufpel.edu.br/isp/ppgfil/  

 

 

 

FaLang translation system by Faboba