A emergência do livro didático de filosofia como um dispositivo pedagógico Show all records where Título is equal to A emergência do livro didático de filosofia como um dispositivo pedagógico
Elisete Medianeira Tomazetti
Raquel Brum Sturza Show all records where Autor is equal to Raquel Brum Sturza
UFSM Show all records where Instituição is equal to UFSM

O presente resumo tem como objetivo apresentar os primeiros encaminhamentos da pesquisa de dissertação do Mestrado, em especial sua problemática, que busca compreender as condições de emergência do livro didático de filosofia como um dispositivo pedagógico, entre os anos 1980 e 2017. Marilena Chauí (2017), na aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em Filosofia da Universidade Federal do Paraná, descreveu o processo de resistência, ocorrido durante e após a ditadura militar no Brasil, pelo retorno da filosofia no currículo do Ensino Médio. Segundo a filósofa, na década de 1970, as associações de docentes e estudantes de todo país lutaram pela valorização das humanidades no ensino secundário. Nesta época, grupos de docentes que participavam destas associações organizaram formações pedagógicas para os estudantes (de graduação) e também prepararam materiais didáticos de filosofia, que inexistiam no Brasil. Em uma análise inicial dos documentos, é possível perceber que em documentos como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei n. 9.394 de 1996 (BRASIL, 1996); Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (CEB/CNE nº3/1998); Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (CEB/CNE nº 2/2012), entre outros, que regulam o ensino de filosofia nos anos 1990 e 2000, o livro didático não figura; como um recurso para o seu ensino, ou seja, sobre ele nada é pronunciado, nada é dito constata-se sua invisibilidade. É somente após o ano de 2008, com a reinserção da filosofia no Ensino Médio, que emerge a necessidade de uma política pública para o livro didático de filosofia, o qual é regulado e deve atender normas especificas para sua distribuição. Desta forma, no ano de 2011 o Programa Nacional do Livro Didático, que tem como função avaliar, comprar e distribuir livros didáticos para as escolas públicas lançou o primeiro edital de seleção de livros didáticos de filosofia e, sua distribuição ocorreu no ano de 2012. Posteriormente, foram lançados outros dois editais de seleção e distribuição nos anos 2015 e 2018. É justamente, esta emergência do livro didático de filosofia como um dispositivo pedagógico, no PNLD, que pretendo investigar ao longo da pesquisa. Como resultado dos primeiros estudos e análises percebe-se que o livro didático de filosofia passa de uma invisibilidade nas políticas públicas, para um lugar de destaque no ensino da filosofia, a partir de uma política pública para o livro didático, tornando-se um dispositivo pedagógico. Inspirada em Foucault (1979) entendo, por dispositivo pedagógico, uma estratégia, uma tática, que corresponde a uma necessidade; uma rede de relações que implica leis, instituições, discursos que tem como objetivo responder a questões educacionais, pedagógicas. O que se apresentará, então, na continuidade da pesquisa é a pergunta pelas condições de emergência do livro didático de filosofia como um dispositivo pedagógico, a partir do ano de 2011.

Filosofar e ensinar a filosofar Buscar Grupo igual a Filosofar e ensinar a filosofar
Dia 23 | Terça | sala Anfiteatro |11:15-11:45
ED
23/10/2018
FaLang translation system by Faboba