A crítica de wittgenstein a russell: apontamentos para uma possível defesa de russell. Show all records where Título is equal to A crítica de wittgenstein a russell: apontamentos para uma possível defesa de russell.
Lucas Antonio Saran Show all records where Autor is equal to Lucas Antonio Saran
PUC/SP Show all records where Instituição is equal to PUC/SP

O objetivo deste trabalho consiste, fundamentalmente, em fazer alguns apontamentos no sentido de lidar com a seguinte questão: a filosofia do Russell de 1913, seguindo-se o que o próprio Russell firma sobre si mesmo, mantém aspectos atuais a despeito das críticas feitas por Wittgenstein no Tractatus logico-philosophicus e em outras obras afins a esta? A nosso ver, essa questão pode ser desdobrada em algumas outras questões: até que ponto o pensamento de Russell pode resistir às críticas feitas por Wittgenstein? Quais temáticas ele abandonou? Quais temáticas ele manteve? Das temáticas tratadas por Russell, independentemente de Russell tê-las abandonado ou não, quais permanecem importantes para nossa reflexão? Buscando fornecer apontamentos no sentido de solucionar essas questões, o presente trabalho dividir-se-á em três momentos: em um primeiro momento, exposição resumida dos principais elementos da filosofia de Russell que merecerão abordagem no presente trabalho; em um segundo momento, apresentação de alguns elementos da filosofia de Wittgenstein, além das principais críticas - pertinentes ao tema em estudo - que esse filósofo fez a Russell; por fim, em um terceiro momento, focaremos, de modo mais direto, os principais apontamentos que este trabalho pretende realizar. Considerando-se esses três momentos, procuraremos, a seguir sintetizar os principais pontos que eles abordarão. Desse modo, podemos começar falando do primeiro momento. Este abordará principalmente cinco pontos importantes do pensamento de Russell: a noção de acquaintance; o estatuto da lógica no pensamento de Russell (na fase de Theory of knowledge, o manuscrito de 1913); a teoria russelliana do juízo; rudimentos da teoria russelliana das descrições; rudimentos da teoria russelliana dos tipos. Após concluir a exposição dessas temáticas, a segunda parte do presente trabalho procurará desenvolver os principais pontos da filosofia exposta no Tractatus logico-philosophicus e obras afins; como mencionado, esse desenvolvimento (das temáticas do Tractatus) será acompanhado de uma explanação a respeito, principalmente, de quatro críticas (e pontos de discordância) centrais à filosofia de Russell (de 1913): a crítica à teoria do juízo; a crítica à teria dos tipos, a crítica ao estatuto da lógica; a crítica a substancialidade otológica do sujeito. Depois de expor essas críticas, iremos, finalmente, iniciar uma defesa de Russell (terceiro momento) onde procuraremos, principalmente, defender certa concepção do próprio fazer filosófico que, desde os textos de 1913, perdura no pensamento de Russell.

Wittgenstein Buscar Grupo igual a Wittgenstein
Dia 24| Quarta | Sala 102|09:40-10:10
WC
24/10/2018
FaLang translation system by Faboba