A dialética da síntese do eu e a ética cristã em A Doença para a morte de S. Kierkegaard Show all records where Título is equal to A dialética da síntese do eu e a ética cristã em A Doença para a morte de S. Kierkegaard
Maria Hermínia de Oliveira Mozine Show all records where Autor is equal to Maria Hermínia de Oliveira Mozine
UFES Show all records where Instituição is equal to UFES

A comunicação examinará a dialética da síntese do eu e a ética cristã em A Doença para a morte do filósofo dinamarquês Kierkegaard, onde as analises do filósofo são elaboradas a partir da definição do homem “como espírito” e o “espírito como sendo o eu”. Um eu relacional e livre. Uma síntese consciente de elementos que se contrapõem: “de infinito e de finito, de temporal e de eterno, de liberdade e necessidade”. A partir desta definição, o autor analisa o conceito do desespero, denominando-o, primeiramente, como “a doença mortal” na qual o eu tem como medida o homem e a cura para o mal é a fé. Posteriormente, perante Deus ou da ideia de Deus, o que Kierkegaard designa como “eu teológico”, o desespero é qualificado como o pecado, cujo oposto é a fé e não a virtude. No primeiro momento será examinada a dialética filosófica do desespero. Em segundo lugar abordaremos a dialética religiosa do pecado, no qual o filósofo conduz uma questão filosófica-antropológica para um problema religioso, onde há uma inversão das categorias dialéticas. Por fim, destacamos à guisa de conclusão que a cura para o desespero é a fé, que é a fé que se contrapõem ao pecado. É necessário a ética cristã (Cristo como modelo) para que o eu se concretiza como uma síntese, ou seja, que o autêntico homem, indivíduo, para Kierkegaard, é o cristão.

Ética Buscar Grupo igual a Ética
Dia 24 | Quarta | Sala 10 |09:00-09:30
IC 3
24/10/2018
FaLang translation system by Faboba