Gustavi Cavalcante Marques Show all records where Autor is equal to Gustavi Cavalcante Marques
UFBA Show all records where Instituição is equal to UFBA

Quais principais erros pedagógicos são cometidos no ensino de filosofia ao nível do Ensino Fundamental, Médio, Graduação e Pós Graduação? Por que não conseguimos formar profissionais capazes de construir uma obra ou dirigir sua atuação profissional em sala de aula a partir do seu contexto cultural, atendendo à demandas culturais locais, sem a subserviência intelectual à propostas filosóficas estrangeiras? Em outras palavras, por que formamos professores que não ousam enfrentar os problemas filosóficos de maneira contextualizada, recorrendo sempre a soluções apresentadas pelos sistemas filosóficos elaborados "no" e "para o" contexto norte americano ou Europeu (Kant, Hegel, Heidegger, Nietzsche, Marx, Rorty, Davidson, etc.)? O fato de problemas filosóficos surgirem em decorrência de dificuldades predominantemente sentidas na prática social fica encoberto porque os filósofos se tornaram uma classe especializada, que usa uma linguagem técnica, criando essa aparência abstrata que marca as filosofias atuais. O que poderia ser feito se tomássemos como referência os problemas filosóficos (que são universais) sem assumirmos como universais as soluções dadas pelos filósofos das mais variadas correntes (pois estas soluções são locais, uma vez que resultantes de um contexto sócio-histórico-cultural)? O objetivo da presente investigação é, então, propor um ensino de filosofia, em todos os níveis da docência, que brote do solo no qual vivemos, que atenda às necessidades sociais, políticas e culturais do meio que serve de atmosfera para a emergência do pensamento, tomando como referência a tradição filosófica, mas sem torná-la um fim em si mesma, assumindo-a como um meio de problematização, mas tomando o contexto no qual se vive como referência principal a fim de propor os desvios necessários para lançar luz aos problemas locais e, com isso, fundar, quem sabe, uma identidade filosófica que ainda não possuímos. O que falta ao ensino de filosofia para promover essa autonomia intelectual necessária à formação de nossos estudantes? O que falta para estimularmos a elaboração de obras originais e que atendam às nossas necessidades nacionais? O que precisa ser feito para que a tradição filosófica europeia e norte americana deixem de ser um fim em si mesmas e tornem-se o que realmente são, meios para problematização e ponto de partida para a investigação? O que falta para assumirmos como referência, também, outras tradições filosóficas "não canonizadas", como a africana e a latino-americana, as mais próximas de nosso contexto político, econômico e cultural? Sabemos que trata-se, acima de tudo, de uma decisão política, de reformulação do currículo, de transformação das metas educacionais. Assim, o que pretendemos investigar é qual o perfil do profissional que queremos formar, quais mudanças político-acadêmicas precisam acontecer e quais mecanismos pedagógicos precisam ser introduzidos para que se torne possível o surgimento de uma filosofia essencialmente brasileira.

Filosofia e Ensino Buscar Grupo igual a Filosofia e Ensino
21.10 | Sexta-Feira | sala 41| 11h20
sala 41
21/10/2016
FaLang translation system by Faboba