IMPULSO CRIATIVO
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
simposioestetica@gmail.com

O tema do impulso criativo - para usar as palavras de Klee- é o que queremos colocar em discussão neste simpósio. Ele pode ser discutido do ponto de vista da psicanálise como correlato da pulsão, como causa de um produto como a obra de arte, ou do ponto de vista analítico. Porém não há o que nos permita definir com palavras claras o que é que antecede esse ato criativo. Hoje em que muito discutimos a validade, os critérios de juízo, a qualidade do que se convencionou chamar de arte contemporânea, permanece ainda a pergunta sobre o que leva alguém a buscar produzir arte. Estamos munidos de instrumental que nos possibilita avaliar a prática artística moderna: seus elementos constitutivos são verificáveis objetivamente e se conformam a certas regras imutáveis, segundo Greenberg. Ainda segundo esse crítico, na modernidade a arte usa de métodos próprios para criticar a si mesma com vistas a afirmar-se em sua área de competência e não para a subverte-la. Está aqui em discussão, paralelamente à questão que nos colocamos, a produção da arte moderna, que tem suas especificidades em relação a outros períodos. Porém mesmo afirmando que a arte moderna busca a transgressão e que essa transgressão se dá segundo certas chaves, tal afirmação não responde à pergunta sobre esse móvel, essa motivação que leva alguém a produzir arte e que se distingue também das motivações pelas quais uma arte é bem recebida e avaliada. Podemos nos referir ao que significa esse impulso em outras épocas nas quais ele nem mesmo foi assim tão importante. Mas nossa referência central é a produção artística atual. Ele ainda é importante hoje? Será que, como dizem alguns críticos contemporâneos, a arte moderna da qual ainda somos herdeiros fecha o tema do impulso criativo – e tal afirmação vai na direção contrária das palavras de Klee com que iniciamos este texto – na medida em que esse tema, conforme esses críticos, parece ser mantido separado das conexões a contextos sociais? Podemos reconhecer que há um processo de criação que independe desses contextos, mas que ocorre mediado por eles?


16 Mai 2016 > Ocorrido há 1130 dias
16 Mai 2016 - 18 Mai 2016
01 Mar 2016 - 25 Abr 2016
01 Mar 2016 - 16 Mai 2016

PROGRAMAÇÃO

Datas 16/05 a 18/05

16/05

9-12: Comunicações

14-17: Oficina: Artes plásticas: Marcelo Colares Borges (artista plástico)

19h30: Conferência: Stacie Friend (Birkbeck College, University of London); A Realistic Constraint on Authorial Criativity

17/05

9-12: Comunicações

14-17: Oficina:Teatro: Rita Alves Miranda (PUCSP/INDAC,SP Escola de Teatro, Grupo Da Calada)

19h30- 21: Mesa redonda: Processos de criação

Renata Sá (UFF): O humano na arte

Antonio Rogério Toscano (PUCSP): Teatro e criação

18/05

9-12: Comunicações

14-17: Oficina: Curadoria: Cauê Alves (PUCSP)

19h30- 21: Mesa redonda: Filosofia e criação

Carla Milani Damião (UFG): Mimesis e criatividade

Adilson Pereira (FAETEC- RJ): Palavra e imagem em Agostinho


Pontiiícia Universidade Católica de São Paulo

IV SIMPOSIO DE ESTETICA: IMPULSO CRIATIVO PUCSP
SÔNIA CAMPANER MIGUEL FERRARI

INSCRIÇÕES:

As inscrições poderão ser feitas através do email simposioestetica@gmail.com, de 01/03 a 25/04 para apresentação de comunicações, e até 16/05 para participação.

É OBRIGATÓRIO CONFIRMAR PRESENÇA PREENCHENDO O FORMULÁRIO PELO LINK http://goo.gl/forms/mJG9Idf57p

Ao inscrever-se especifique no assunto do email participação (para quem somente pretende assistir às apresentações) e apresentação(para quem pretende apresentar comunicação).

APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÕES: Solicitamos aos que se inscreverem para apresentar comunicação que observem o seguinte: O resumo deverá ser enviado em documento anexo em Word. O anexo deverá conter nome completo, título da apresentação, instituição, email O resumo deverá vir em Arial 12, espaço simples. O título em negrito, justificado. Deve conter entre 300 e 500 palavras.


PUCSP 

FAPESP

CAPES

PAPELARIA UNIVERSITÁRIA


FaLang translation system by Faboba