Diretor da Capes afirma, em reunião com diretoria da Anpof, que haverá expansão do Prof-filo

Nádia Junqueira Ribeiro

Doutoranda em Filosofia na Universidade Estadual de Campinas e assessora de comunicação/Anpof

29/09/2021 • Notícias ANPOF

Da esquerda para direita - Eduardo Barra, Carlos Lenuzza, Susana de Castro, Agnaldo Cuoco e Carlos Estevam

Na última segunda-feira (27/9), a presidente da Anpof, Susana de Castro, o tesoureiro, Agnaldo Cuoco Portugal e o coordenador nacional do Prof-filo, Eduardo Barra, estiveram na Capes, em Brasília, para levar a demanda da comunidade filosófica pelo aumento de instituições associadas ao programa. Na ocasião, o diretor da DEB/DED/CAPES, Carlos Lenuzza, acompanhado do coordenador do departamento, Carlos Estevam, afirmou que o Prof-filo é uma das prioridades de expansão dos programas PROEB para o ano de 2022. 

Para que a expansão aconteça, o diretor orientou publicar, desde já, um edital específico para qualificação de instituições interessadas em ingressar no Prof-Filo. O ingresso oficial deve acontecer a partir de maio de 2022 e a primeira turma terá início nestas novas instituições em março de 2023. Para que a expansão acompanhe a real demanda regional, Lenuzza orienta que as instituições interessadas façam um mapeamento seguindo o censo educacional relizado pelo INEP.

Barra ainda apresentou à diretoria da Capes a possibilidade que o novo regimento do Prof-Filo oferece de credenciar instituições também na condição de instituições colaboradoras. A iniciativa foi elogiada pelo diretor, como uma boa solução para o preenchimento de vagas oferecidas pelo programa e para que ele seja capaz de expandir atendendo a real demanda de cada região, sem que haja vagas ociosas. Além disso, essa possibilidade se apresenta como uma forma de fortalecer o sistema de funcionamento em rede.  

Avaliação positiva

O coordenador nacional do Prof-Filo avalia que não havia acontecido uma reunião tão importante com a Capes desde a criação do programa em 2017, quando se reuniram com a diretoria de formação de professores de educação básica (DEB). “Desta vez, a presença da diretoria da Anpof não apenas ampliou a representatividade das ações do Prof-Filo, mas também conferiu maior sustentação às demandas por ampliação das oportunidade de formação para os professores de filosofia na educação básica. Tenho a plena convicção de que a expansão do programa terá um efeito multiplicador muito mais amplo que as cerca de cem novas vagas que serão oferecidas a partir de 2023, por cerca de dez novas IES associadas”, comentou. 

A presidente Susana de Castro comprometeu que a Anpof realizasse um evento virtual em parceria com o Prof-Filo para divulgar o edital de adesão de instituições ao programa. Este evento deve esclarecer todas as dúvidas sobre o edital e oferecer orientações para que o pleito seja devidamente atendido. A presidente compartilha do otimismo do professor Barra. “Saímos de lá tanto com orientações precisas sobre os procedimentos relacionados às chamadas públicas para a filiação de novas instituições de ensino superior ao Prof-filo, quanto com a garantia de que para o ano que vem teremos mais vagas. Os representantes da Capes foram claros em reconhecer que o programa tem ainda um potencial enorme de ampliação e a meta da Capes é seguir corrigindo distorções”, comenta a presidente.

Susana de Castro ainda destaca a razão da Anpof apoiar a demanda que o professor Barra levou à Brasília. “O Prof-Filo supre uma demanda real de formação continuada de professores de filosofia da rede de ensino pública. Esse tipo de mestrado ajuda a diminuir o abismo entre ensino superior e educação básica. Quanto mais a universidade estiver próxima dos professores da rede pública de educação básica, mais garantias teremos da alta qualidade do ensino”, comenta a presidente.

O Prof-Filo

Atualmente, são 16 universidades públicas associadas ao Prof-Filo. O programa acolhe cerca de 199 candidatos por ano e recebeu novos estudantes entre 2017 e 2020. Por determinação da Capes, não houve nenhum ingresso em 2021. No próximo ano terá início a quinta turma. Até o momento, foram titulados cerca 220 professores da educação básica. As dissertações podem ser conhecidas no site do programa.

DO MESMO AUTOR

O que Hannah Arendt disse sobre o que se passa em Israel hoje?

Nádia Junqueira Ribeiro

Doutoranda em Filosofia na Universidade Estadual de Campinas e assessora de comunicação/Anpof

10/06/2021 • Coluna ANPOF